O ginasta Arthur Nory Mariano ganhou medalha de bronze na Olimpíada Rio-2016 neste domingo (14), após boa apresentação na categoria solo. No entanto, não merece nenhum parabéns. Ao contrário, não devia sequer estar lá, representando milhões de brasileiros.

No ano passado, Arthur e outros dois ginastas, todos brancos, praticaram o crime de racismo contra Angelo Assumpção, uma das principais promessas da ginástica brasileira, com um ouro e um bronze em duas Copas do Mundo; seis títulos de campeão brasileiro e outros três de melhor ginasta sulamericano.

“Se o celular funciona, é branco; se estraga, é de que cor? Preto. O saquinho do supermercado é branco. E do lixo? É preto”, falou no aplicativo Snapchat. Depois, A CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) afastou Arthur por 30 dias. E fez com que todos os envolvidos gravassem um vídeo com a presença de Angelo. Disseram que foi “uma brincadeira” e que todo mundo “entendeu errado”. Não foi uma brincadeira. Foi um crime.

Pode-se dizer que coagiu Angelo Assumpção, a vítima, a não registrar Boletim de Ocorrência. Várias vezes, o ginasta, único negro na seleção brasileira de ginástica, reclamou da blindagem que a CBG fez. A Confederação teria barrado ele se pronunciar sobre o assunto.

Com a promulgação da Constituição, em 1988, racismo virou crime inafiançável e imprescritível. A pena é de 1 a 3 anos de prisão, além de multa. Assim, pode-se subentender que Arthur deve à Justiça. Só falta uma denúncia. Angelo foi quase coagido a não registrar Boletim de Ocorrência contra Arthur.

E houve todo um trabalho de mídia para mudar a imagem do atleta racista. Primeiro, Arthur não é mais Mariano, é Nory. Saiu em todas os jornais, portais e emissoras de televisão como o galã brasileiro na Rio-2016. Rosto comercial. Diferentemente de Angelo. E, mais patético ainda, foi o suposto affair dele com uma atleta americana negra. Com entrevistas dizendo que são “crush”.

Não contente com a blindagem ao racismo, a CBG levou Angelo ao Rio de Janeiro, com o ‪#‎TimeBrasil‬. No entanto, ele sequer ficou como suplente para participar da Olimpíada. Foi isolado. No Instagram, ele demonstrou o verdadeiro espirito olímpico:

“Foi um ano muito difícil pra mim , um ano que tive que superar várias dificuldades e aceitá-las. Tudo passa… Ontem fui assistir a ginástica que continua crescendo e sempre dando orgulho para todos os brasileiros. Parabéns pra todos os atletas e continue com o trabalho duro.”

Após o bronze de Arthur, Angelo mostrou ainda mais nobreza, afirmando que torceu pelo compatriota e que espera que ele também seja medalhista fora do tablado.

Já com relação a Arthur, trata-se de um criminoso. E deve ser tratado como tal. Deve pagar pelo crime que cometeu, como qualquer outro racista deve responder criminalmente.

16
12

Escrever artigo sobre este tema

O The Global P. é uma plataforma aberta de debate. Os textos nele postados não refletem a opinião do site. Você tem uma opinião diferente da desse autor? Escreva o seu próprio artigo! Clique aqui e saiba mais.