Freedom, libertad, liberté, libertás. Em todos os campos da vida, acredito que a valorização da liberdade é a essência para o bem estar, o desenvolvimento e a capacidade de criar das pessoas.

No âmbito econômico, quanto maior o nível de interferência do estado no curso natural das forças do livre mercado, maiores serão as distorções, ineficiências e retardo da prosperidade. Burocracias, regulação das relações trabalhistas, impostos, barreiras comerciais, barreiras fiscais, gastos “públicos” e, especialmente, IMPOSTOS inibem a capacidade de adaptação, criação e evolução dos bons negócios, das boas idéias, que num ambiente livre de interferência tendem a seguir o fluxo do juiz mais natural que existe, o MERCADO.

A quem diga, contudo, que os impostos nada mais são que o “custo da liberdade”. Tendo a concordar que a idéia faz sentido, visto que não existe vácuo em poder. Neste caso, acho que o custo da liberdade no Brasil está caríssimo.

Ok, mas como construir um país mais livre? Acho que a receita parte da cultura e leva gerações para se sentir os efeitos.
O Brasil tem uma cultura historicamente paternalista, aqui acredita-se que o estado é uma espécie de “paizão”, responsável por nos prover tudo o que precisamos, tudo que queremos, tudo que desejamos. Os riscos, os deveres, as responsabilidades são do pai, já os benefícios e direitos são nossos.
Dessa forma, pela lei da sobrevivência, 99% dos partidos brasileiros adotam o mesmo discurso do “grande pai” nas campanhas políticas. Toda eleição assistimos a uma disputa entre quem faz mais com o dinheiro dos contribuintes, mais creches, mais hospitais, mais escolas, mais estradas, mais tudo… nunca quem faz menos. Por que não reduzir o estado? Porque o brasileiro é acostumado com a ilusória segurança do “grande pai”, independência gera medo, traz riscos, incertezas. É mais seguro abrir mão de liberdade e se contentar com a mediocridade.

No âmbito da moralidade, tenho a mesma filosofia que no âmbito econômico. Quanto maior a valorização das liberdades individuais, maior será o nível de bem estar da sociedade. Liberdade de se expressar, de amar, de arriscar, de inovar, de quebrar paradigmas, de pensar são a base de uma sociedade evoluída.

Liberdade envolve a coragem de assumir responsabilidades, é sobre poder gozar dos frutos do que deu certo e aceitar os custos do que não deu.

Em suma, respondendo à pergunta do concurso: Quando a liberdade for um valor prioritário na cultura brasileira, acredito que estarão criadas as bases para um país melhor.

Obs: Estou otimista quanto a essa evolução atualmente, tenho a impressão que ano após ano as idéias liberais tem ganhado terreno no Brasil.

20
3

Escrever artigo sobre este tema

O The Global P. é uma plataforma aberta de debate. Os textos nele postados não refletem a opinião do site. Você tem uma opinião diferente da desse autor? Escreva o seu próprio artigo! Clique aqui e saiba mais.