Exibição de curtas ocupa programação do Centro de Pesquisa da Máscara neste final de semana, com sessões gratuitas às 19h e 21h

Começou nesta sexta-feira a 1ª Mostra CINETEATRO do Centro de Pesquisa da Máscara, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, com a exibição de curtas-metragens e debates sobre a relação entre as linguagens cinematográfica e teatral. A curadoria do evento selecionou 30 filmes para compor a programação, que continua hoje e amanhã, com duas sessões por dia (às 19h e às 21h) e entrada gratuita.

A iniciativa parte da parceria entre o Centro de Pesquisa de Máscaras e um grupo de artistas e produtores cinematográficos independentes, numa seleção que recebeu mais de cem inscrições, tendo como objetivo estreitar o diálogo entre o cinema e o teatro, além de expandir as atividades do espaço cultural localizado na Rua Bamboré, 518.

“O teatro tem mais de três mil anos e o cinema é uma arte industrial. O hibridismo entre as duas linguagens é uma necessidade do artista contemporâneo”, afirma um dos realizadores do evento, Cassio Rothschild, ator e diretor teatral. “A mostra é uma declaração de amor e carinho pela arte e pelo estudo dessas formas de expressão”, ele diz.  

Na primeira sessão da mostra, ontem à noite, participaram do debate o diretor de teatro Pedro Garrafa, os diretores do filme “Enquadro minha escola”, sobre a ocupação de colégios estaduais paulistanos em 2016, e outros artistas. O filme foi gravado durante os ensaios, pelos alunos de uma das escolas ocupadas, de uma peça de Bertolt Brecht, demonstrando como a linguagem teatral pode valorizar a mensagem pretendida pelo cinema documental. Outro curta foi “Eternidade”, inspirado no cinema mudo do expressionismo alemão, que discute o caráter filosófico de um casamento com traços de mímica e teatralidade.  

“Muitos realizadores negam um elo entre cinema e teatro, tentando evitá-lo ao máximo, quando na verdade são artes complementares”, observa uma das curadoras da mostra, Aline Grisa. “Pensando nessa ligação, surgiu a ideia de um lugar onde se pudesse debater e unir ambas as vertentes”, ela conta.

Ateliê de Máscaras

Com sede no Ipiranga, o Centro de Pesquisa da Máscara (CPM) é uma companhia teatral dedicada especialmente ao estudo da máscara. Através de cursos, montagens e apresentações de espetáculos e outros eventos, visa difundir essa linguagem artística para o público em geral. O CPM também busca o diálogo com outras vertentes artísticas, no intuito de promover a troca de experiências e saberes com artistas, produtores culturais e apaixonados pela arte.

A Mostra CINETEATRO surgiu do primeiro contato com um grupo de artistas e produtores cinematográficos que tinham em comum, com o CPM, o interesse pelas máscaras. Os realizadores entendem que, na produção cinematográfica atual, ainda há uma distância referente a outras artes que a antecedem. “Quando falamos de máscaras, o seu lugar é muito claro no teatro. Porém, ao associarmos com cinema, elas se restringem aos filmes de terror e personagens que ocultam algo”, afirma a curadora Gabriela Lima. “Colocamos em pauta essa discussão de forma que nenhuma arte seja excludente, reforçando o que nos une”, conclui.

Serviço

1ª Mostra de Cineteatro

21, 22 e 23 de julho 

Centro de Pesquisa da Máscara (CPM)

Rua Bamboré, 518 – Ipiranga, São Paulo 

2
0

Escrever artigo sobre este tema

O The Global P. é uma plataforma aberta de debate. Os textos nele postados não refletem a opinião do site. Você tem uma opinião diferente da desse autor? Escreva o seu próprio artigo! Clique aqui e saiba mais.