Quem já foi criança sabe que a maioria das vezes que dizia “não vejo a hora de crescer logo” não era porque estava farto de ter muito tempo livre dedicado à diversões mil e não precisar se preocupar com nada além de notas escolares e de não perder seu programa favorito na TV e sim sobre não poder ter acesso pleno as coisas que via os adultos fazendo e principalmente de não ser levado a sério pelos crescidos simplesmente por ser criança.

Se você acha absurdo que as crianças devam ser levadas a sério você é parte dos preconceituosos, e isso é um problema.

As pessoas perdem de vista que uma criança é um adulto em formação e o período em que mais ligações neurais são feitas em suas cabecinhas inocentes por isso qualquer informação, ação ou ensinamento vira exemplo e fica enraizado profundamente na mente dos pequeninos. Conhecimento esse que ele reproduz de imediato. Mesmo a criança sendo uma mímica do ambiente em que é criado já desenvolve personalidade e particularidades e principalmente sua identidade como ser vivo.

Lembro quando eu era um infante cabeçudo e constantemente as pessoas adultas achavam que “criança não se leva a sério” e num episódio interessante onde eu havia decorado o trajeto da escola até minha casa, depois de 4 anos fazendo-o 2 vezes ao dia na Perua Escolar (sim, não sou nenhum garoto), enquanto minha mãe achava que “criança não sabe de nada”, a nossa vizinha que nos levava àquele dia em seu fusca laranja deu-me esse voto de confiança e chegamos são e salvos em casa. Ao mostrar pra minha mãe que eu sabia o que dizia foi desestimulado por um beliscão, punição por ter desmentido ela na frente dos outros…

Esse caso de desmerecimento infantil contradiz também com a cobrança infundada de conhecimento pelos adultos, como se a criança devesse saber tudo na escola mesmo não tendo o estímulo paternal em casa, ou que se aprende com o avançar da idade e não com o aprendizado. Quem nunca ouviu dos pais ou tios algo como “dessa idade e não sabe nadar/andar de bicicleta/jogar baralho?” Como aprender se nunca foi-lhe ensinado? Se o conhecimento viesse por idade, as escolas seriam inúteis.

Ou seja: não sabe nada da vida e devia saber de tudo como um auto-didata ao mesmo tempo? Que lógica é essa?

A sorte das crianças atuais é terem nascido na era da informação e com pais já com uma mentalidade mais racional que procuram estimular e presenciar a vida acadêmica dos seus pequenos, talvez para que não façam com os seus o que lhes fizeram e a mídia ajuda ao divulgar grandes feitos realizados por crianças ao redor do mundo como “salvou o irmãozinho do ataque de abelhas” ou “ligou para os bombeiros quando a mãe desmaiou por causa da fumaça do incêndio” e até “ligou pra polícia e denunciou o pai agressor da mãe”. Todas crianças comuns, de todo tipo, de todos os lugares.

O potencial dos pequenos vai além do que achamos que é a infância, onde podemos aprender tanto com os mais velhos quanto com os mais novos, esses seres cheio de esperança e vitalidade que nos estimulam a sermos exemplos melhores.

1
0

Escrever artigo sobre este tema

O The Global P. é uma plataforma aberta de debate. Os textos nele postados não refletem a opinião do site. Você tem uma opinião diferente da desse autor? Escreva o seu próprio artigo! Clique aqui e saiba mais.